Programa Ciência sem Fronteiras lança oito modalidades de bolsas

8 dez

 

Bolsas por mérito

Até 2014, o governo federal vai conceder 75 mil bolsas para estudantes e pesquisadores por meio do programa Ciência sem Fronteiras, parceria do Ministério da Ciência eTecnologia (MCT) com o Ministério da Educação (MEC).

Serão oferecidas oito modalidades de apoio, principalmente ao estudo de brasileiros no exterior, por meio do CNPq (Conselho Nacional deDesenvolvimento Tecnológico) e da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior).

O processo de seleção dos alunos começará neste semestre, segundo o ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante. “O critério é mérito e mérito não é QI de quem indica. O método é o desempenho que o aluno teve em critérios objetivos e republicanos”, garantiu.

Processo de seleção

O potencial e o desempenho acadêmico serão critérios de seleção. Estudantes que ingressaram na instituição pelo do Programa Universidade para Todos (ProUni) ou do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e que obtiveram nota no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) superior a 600 pontos também poderão participar.

Instituições de Ensino Superior que participam dos programas de Iniciação Científica (Pibic) e Tecnológica (Pibit) do CNPq receberão cotas para selecionar alunos. O processo será feito pela instituição, mas a escolha será do CNPq. Para estudar fora do país, os alunos vão ganhar passagem aérea, seguro saúde, auxílio instalação e uma bolsa mensal de US$ 870. As taxas escolares também serão bancadas pelo Ciência Sem Fronteiras.

As bolsas Brasil Doutorado Sanduíche no Exterior (SWE) e Doutorado Integral no Exterior (GDE) terão processos de seleção divulgados periodicamente. Os benefícios compreendem bolsa mensal de US$ 1,3 mil, passagem aérea, seguro saúde, auxílio instalação e taxas escolares. Também serão concedidas cotas de bolsas na modalidade SWE para os cursos de pós-graduação com conceito maior ou igual a 4 na classificação da Capes.

Modalidades de bolsas

As bolsas de intercâmbio se dirigem a três níveis de estudo: graduação, doutorado e pós-doutorado.

A Bolsa Brasil de Graduação Sanduíche (SWG) irá contemplar os estudantes que completaram ao menos 40% e no máximo 80% do curso. O estudante deverá ainda se comprometer a permanecer no Brasil o tempo mínimo equivalente ao que esteve fora do país como bolsista.

Entre 2011 e 2014, 660 pesquisadores serão escolhidos para fazer parte da Bolsa Brasil Estágio Sênior (ESN). Com duração de três a seis meses, essa modalidade prevê bolsa mensal de US$ 2,3 mil, passagem aérea, seguro-saúde e auxílio instalação. Pesquisadores doutores com formação obtida há pelo menos oito anos podem concorrer às vagas.

Outra modalidade voltada para profissionais com mais experiência é a Bolsa Brasil Pós-Doutorado no Exterior (PDE). Cinco mil cartas de estudo com bolsa mensal de US$ 2,1 mil, passagem aérea, seguro saúde e auxílio instalação serão concedidas até o fim da primeira edição do Ciência Sem Fronteiras.

As bolsas PDE são voltadas ao pesquisador doutor que pretenda complementar a formação com os temas e prioridades do programa. A duração da bolsa é de um ano. Tanto na modalidade ESN como na PDE, CNPq vão conceder cotas de bolsas aos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCTs).

Há, por fim, o Bolsa Brasil Treinamento de Especialistas no Exterior (SPE), cujos benefícios são: valor de R$ 1.300 mensais, passagens aéreas, seguro-saúde e auxílio de instalação.

Repatriação de cientistas

Para atrair pesquisadores de outros países e brasileiros residentes no exterior, o programa Ciência Sem Fronteiras terá duas modalidades: Bolsa Brasil Jovens Cientistas de Grande Talento (BJT) e Bolsa Brasil Pesquisador Visitante Especial (PVE).

A primeira prevê que o cientista fique no país por três anos. Ele receberá passagem aérea, auxílio instalação, cota de bolsa de iniciação científica, auxílio financeiro para o laboratório e bolsa de R$ 7 mil por mês.

A PVE é uma modalidade de bolsa diferenciada. O objetivo é atrair lideranças científicas internacionalmente reconhecidas.

O pesquisador deve se dispor a permanecer no Brasil por algum tempo enquanto a bolsa estiver em vigência. Além disso, também deve se comprometer a receber brasileiros nos laboratórios no exterior.

Entre os benefícios, estão a cota mensal de R$ 14 mil, que será paga quando ele estiver no Brasil, uma viagem anual para o pesquisador, uma bolsa de Pós-Doutorado Júnior (PDJ) e uma bolsa (SWE), além de R$ 50 mil por ano de custeio para o laboratório hospedeiro.

Programa Ciência sem Fronteiras

O principal objetivo do Programa Ciência sem Fronteiras é estimular o avanço da ciência, tecnologia, inovação e competitividade, por meio da expansão da mobilidade internacional dos pesquisadores.

Para alcançar esse objetivo, segundo o governo, é preciso aumentar a presença de pesquisadores e estudantes brasileiros em instituições de excelência no exterior, além de atrair jovens talentos para trabalhar no Brasil.

O CNPq concederá 35 mil bolsas, um investimento de R$ 1,43 bilhão. Já a Capes concederá 40 mil bolsas, com recursos de R$ 1,73 bilhão. No total serão investidos R$ 3,16 bilhões.

Além das 75 mil bolsas que vai custear, o governo espera que a iniciativa privada arque com mais 25 mil, totalizando 100 mil bolsas até 2014.

Áreas estratégicas

O Programa Ciência sem Fronteiras estabeleceu várias “áreas de concentração”, que terão prioridade na concessão das bolsas.

  • Engenharias e demais áreas tecnológicas
  • Ciências Exatas e da Terra: Física, Química e Geociências
  • Biologia, Ciências Biomédicas e da Saúde
  • Computação e Tecnologias da Informação
  • Tecnologia Aeroespacial
  • Fármacos
  • Produção Agrícola Sustentável
  • Petróleo, Gás e Carvão Mineral
  • Energias Renováveis
  • Tecnologia Mineral
  • Tecnologia Nuclear
  • Biotecnologia
  • Nanotecnologia e Novos Materiais
  • Tecnologia de prevenção e migração de desastres naturais
  • Tecnologias de transição para a economia verde
  • Biodiversidade e Bioprospecção
  • Ciências do Mar
  • Indústria Criativa
  • Formação de Tecnólogos

 

Mais informações podem ser obtidas no site do Programa Ciência sem Fronteiras, no endereço http://www.cienciasemfronteiras.cnpq.br.

 

 

Informações tiradas do site Inovação Tecnológica.

 

Programa Jovem Monitor 2012

1 dez

Projeto Generosidade

10 nov

 

 

O prazo de inscrições para a quinta edição do Projeto Generosidade, iniciativa da Editora Globo que visa reconhecer e incentivar projetos sociais em todo o Brasil, foi prorrogado até 15 de novembro. O vencedor receberá R$ 200 mil como forma de incentivar o aprimoramento do projeto e este ano o 2º e 3º colocados também receberão ajuda financeira (R$ 80 mil e R$ 40 mil, respectivamente).

É possível contar a história da instituição preenchendo uma ficha no site http://www.projetogenerosidade.com.br e enviando um breve relato de até 5 mil caracteres descrevendo as atividades da organização. Também participam entidades descobertas pelas equipes de redação das revistas da editora, que ganharam reportagem nas publicações durante o ano de 2011.

O projeto já premiou as seguintes instituições: Amigos do Bem, Associação Acolhida na Colônia, Casa do Zezinho e Acreditar. A escolha dos dez finalistas ficará a cargo de um júri formado por convidados e parceiros da Editora Globo. Em seguida um comitê composto por profissionais atuantes no terceiro setor na área de sustentabilidade se encarrega de escolher os vencedores. A cerimônia de entrega das melhores iniciativas acontece em fevereiro de 2012.

 

 

Voluntariado

10 out

 

 


Segundo definição das Nações Unidas, “o voluntário é o jovem ou o adulto que, devido a seu interesse pessoal e ao seu espírito cívico, dedica parte do seu tempo, sem remuneração alguma, a diversas formas de atividades, organizadas ou não, de bem estar social, ou outros campos…”

 

 Em recente estudo realizado na Fundação Abrinq pelos Direitos da Criança, definiu-se o voluntário como ator social e agente de transformação, que presta serviços não remunerados em benefício da comunidade; doando seu tempo e conhecimentos, realiza um trabalho gerado pela energia de seu impulso solidário, atendendo tanto às necessidades do próximo ou aos imperativos de uma causa, como às suas próprias motivações pessoais, sejam estas de caráter religioso, cultural, filosófico, político, emocional.

 

Quando nos referimos ao voluntário contemporâneo, engajado, participante e consciente, diferenciamos também o seu grau de comprometimento: ações mais permanentes, que implicam em maiores compromissos, requerem um determinado tipo de voluntário, e podem levá-lo inclusive a uma “profissionalização voluntária”; existem também ações pontuais, esporádicas, que mobilizam outro perfil de indivíduos.

Hoje temos várias ONGs e empresas que recebem voluntários para seus trabalhos ou ações pontuais, pesquisas comprovam que exercer o trabalho voluntário não acrescenta apenas para aqueles que recebem o voluntário, mas o currículo do voluntário se torna mais atraente para as empresas.  

Texto extraído do site: http://www.voluntarios.com.br

Para maiores informações entre no site!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Yale, oportunidade para todos!

4 out

Estudar no exterior  para você aluno brasileiro que já pensou em fazer uma graduação nos Estados Unidos, mas começou a desistir da ideia quando percebeu que seria muito caro? O diretor acadêmico da Universidade Yale, Peter Savoley, diz que dinheiro não é exatamente um problema para quem quer estudar lá. “Se você não consegue pagar nada, e é admitido, a Yale vai te dar todo o apoio. Sua família não vai precisar pagar nada. Temos vários casos assim.”

“O apoio financeiro chega a 70% [do total dos gastos] para o estudante comum. Para os estrangeiros, é um percentual ainda maior. Algo como 70% dos estudantes internacionais de graduação recebem apoio. Nos programas de PhD, ninguém paga anuidade. Todos recebem bolsa.”

Uma oportunidade para todos, como diz o tema…

Estudar fora pode ser um sonho e uma realização para todos, de todas as rendas, tendo apenas uma exigência, sua determinação e dedicação.

Para maiores informações veja o site:

http://vestibular.uol.com.br/ultimas-noticias/2011/10/04/e-possivel-para-um-aluno-brasileiro-estudar-de-graca-em-yale-diz-diretor-da-universidade.jhtm

Informações extraídas do site uol.com

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dia das Crianças!

26 set


Profissionais e o Terceiro Setor!

8 set


O terceiro setor, formado por organizações representativas da sociedade civil, como ONGs, é considerado a oitava força da economia mundial, e movimenta até 1,1 trilhão de dólares por ano. E quem pensa que o trabalho neste segmento se resume apenas ao voluntariado, se engana. Muitas organizações não-governamentais possuem estrutura para gerar vagas de emprego com remuneração interessante e oferecem aos profissionais a chance de traçar um bom plano de carreira.


Mais informações no site: euquerotrabalho.com

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.